Pesquisar no blog

Carregando...

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Titanic o naufragio


                                                          Cenas do filme Titanic 1997

99 anos se passaram desde o naufrágio do Titanic, mas mesmo depois de tanto tempo ainda é um mistério o que realmente aconteceu naquela noite trágica. Hoje vamos relembrar aquela noite da tragédia, aquela noite que se perderam 1.500 almas. Boa leitura!
                                                         
                                                             Titanic o naufrágio
                                          
                                             14 de abril de 1912 : 5 horas da tarde

O maior navio do mundo já estava no seu 4° dia de viagem. O operador de rádio, John Philips, operava a nova tecnologia da época, o rádio Marconi, e recebia mensagens de navios próximos que informavam sobre icebergs a frente. Todos os avisos foram ignorados, pois era comum ver gelo naquela área, naquela época do ano e o capitão Edward John Smith sabia disso.
        
                                         
Às 10 da noite o Titanic passava pelo campo de gelo a 22 nos e meio, ou seja, 41 km /h.


Na ponte de comando, o Oficial Willian Murdochse se preocupava com o gelo adiante. O Titanic naquela velocidade, precisava de 1km e meio para girar o navio a 40 graus, mas naquela hora tudo estava calmo, nenhum iceberg fora visto por perto.



A noite estava calma e o mar totalmente parado, o céu estava coberto por estrelas e naquela noite, a temperatura estava a 2 graus.

Às 10h55min o operador de rádio, John Philips, estava se esforçando para mandar as mensagens aos passageiros, quando um navio próximo o SS Californian começa a mandar outra mensagem. ela chega aos ouvidos de Philips como um barulho irritante, quase o deixando surdo. Philips responde ao Californian com grosseria, dizendo para sair daquela frequência mesmo o aviso sendo que eles haviam parado por causa do gelo.
  
Às 11h40min o vigia do Titanic, Frederick Fleet, avista algo na escuridão.


 
Mas estava muito longe e ele não estava usando binóculos. Quando começou a chegar mais perto, ele percebe um imenso bloco de gelo à frente do Titanic e rapidamente chama a ponte de comando.




Uma voz pergunta:
- O que está vendo?



Fleet responde em voz alta:

- Iceberg bem à frente!

Rapidamente a ponte de comando estava em alerta, William Murdoch entra e diz:

- Tudo a bombordo!



As máquinas foram revertidas, o motor parou por alguns segundos até virar, diminuindo a velocidade do navio. Murdoch ficou no alto da ponte observando o iceberg se aproximar e nenhum sinal do navio virar.



Quando de repente ele vira a bombordo, mas já era tarde demais. O navio bateu no iceberg a estibordo em menos de 1 minuto, a proa do Titanic passa pelo gelo fazendo tremer todo o navio e rasgando a lateral dele.



Na sala de bagagens que ficava na proa, os canos começaram a entortar pra dentro fazendo a água entrar com uma força imensa.



Logo quando o Titanic passa, os passageiros que estavam no convés C do navio veem o imenso bloco de gelo passar por eles e no final o gelo bate nas grades de proteção da proa fazendo cair gelo no convés.



O oficial Murdoch assustado pelo tamanho do bloco de gelo passando em seu lado, entra rapidamente na ponte de comando e fecha as portas e estanques do navio, isolando-o. 



O navio ainda estava raspando no iceberg e os passageiros que estavam na parte de fora do navio correram para ver o iceberg se distanciando dele.



Logo o iceberg estava longe quase não dando mais para ver ele. Depois de todo o abalo que o navio recebeu, o capitão acorda, saindo de seus aposentos, ele entra na ponte de comando para ver o que havia acontecido. Quando chega, pergunta para os presentes:

- O que aconteceu?

Murdoch rapidamente responde:

- Um iceberg senhor!



O capitão Smith saindo da ponte de comando se dirige para o lado estibordo do navio, pára e diz para fechar as comportas. Murdoch que estava o seguindo responde:
- Já foram fechadas!

O capitão manda imediatamente desligar as máquinas e sua ordem é atendida. Olhando diretamente para baixo, ele percebe a imensa quantidade de gelo no convés C.



Logo ele manda chamar os engenheiros do navio para verificar o dano e quando havia percebido, o navio estava parado.



Em baixo na 3°classe os passageiros haviam acordado pelo barulho e se depararam com água dentro de suas cabines. Quando abriram as portas de seus camarotes, viam que havia água pelo corredor todo e passageiros saindo de suas cabines para encontrar algum lugar seco.



Enquanto os passageiros de nível inferior se desesperavam com a água gélida, os passageiros da 1°classe não sabiam de nada ainda. O presidente da White Star Line, Bruce Ismay,  sai de sua cabine de roupão e se dirige para a ponte.



Não só ele como o projetista do Titanic, Thomas Andrews com as plantas do navio em mãos também se dirige a encontro do capitão. Sua cara angustiada já era visível por alguns passageiros. Pessoas disseram que era uma das pás da hélice que havia se soltado, mas Andrews já sabia que não se tratava disso.



Chagando lá, em encontro com alguns dos oficiais e o capitão, ele avalia o estrago que o iceberg fez. Andrews avaliou os cinco compartimentos inundados e disse em voz alta que o Titanic iria afundar dentro de 2 horas. Logo ao fundo, Bruce Ismay diz em voz alta:
- Mas esse navio não afunda!

 Andrews logo afirma:
- Ele é feito de ferro e é seguro que afunde!



Logo o capitão dá a ordem de que se arrumem os botes para colocar os passageiros. Ele sabia que não havia botes para todos a bordo e cada vez mais entrava em angustia. Logo a sala se esvazia e o capitão fica sozinho dentro dela pensando em tomar a decisão mais difícil de sua vida ficar e afundar ou sair em um dos botes, pois ele sabia que o dever de um capitão é ficar e afundar junto ao seu navio. Logo ele se dirige a sala de Marconi e escreve o pedido de SOS que era para ser enviado para outros navios.



Enquanto isso os oficiais descobriram os botes, Thomas Andrews ficava observando o trabalho dos oficiais e pergunta para um deles:
- Onde estão os passageiros?

O oficial responde:
- Estão lá dentro, está muito frio aqui fora para eles!



Logo os vapores da sala das caldeiras chegaram às três chaminés, que começaram a fazer um barulho enorme, chamando atenção dos passageiros que se dirigiam ao convés dos botes.
Logo o capitão recebe um aviso que o tranquilizou um pouco, de que o navio Carpathia havia respondido o SOS e que estavam indo até lá. Só que a alegria do capitão não durou muito, até descobrir que ele demoraria 4 horas para chegar e o Titanic tinha menos de 2 horas para ir ao fundo  do mar.



Logo O Segundo Oficial Charles Lightoller se aproxima do capitão pede permissão para baixar os botes e pergunta se era para colocar mulheres e crianças 1°, o capitão logo afirma que sim. Feito isso ele se aproxima do bote número seis e chama os passageiros que estavam ali perto dizendo que só mulheres e crianças entrariam primeiro.



Logo a banda do Titanic liderada por Wallace Hartley chegou ao convés dos botes e começa a tocar para os passageiros, para controlar o pânico.



Na 3°classe, os passageiros se reuniam no portão que estava trancado. Estavam todos em pânico, o espaço era pequeno, a água já estava subindo e também haviam mulheres e crianças lá dentro.



Às 00:45min, o oficial Murdoch que estava enchendo o bote 7, logo manda baixarem o bote, que não estava lotado haviam apenas 20 pessoas dentro dele, mas mesmo assim o abaixou. Ele estava com presa em ajudar seus companheiros e os passageiros do navio também. Foi o 1° bote a sair do Titanic.



A inclinação do navio já era percebida, os oficias tinham que tomar cuidado ao abaixarem os botes porque não podiam o descer reto se não um dos lados inclinava. Logo chega a ponte os primeiros foguetes, eram de cor branca e era isso que ia dar o alerta aos outros navios próximos.



Logo o primeiro é lançado e explode no ar com grandes luzes brancas e brilhantes. Os passageiros se assustam com o barulho e ao verem aquele clarão no céu.



A água quase já chegava acima do navio. Com toda aquela inclinação, os corredores da 3ª classe da proa, ficavam inundados rapidamente.



Às 00h55min da noite, o bote 6 desceu. 10 minutos depois, desce o n°8. Andrews estava a todo vapor, fazendo as mulheres entrarem nos botes. A confusão era muita, algumas não queriam deixar os maridos a bordo e os oficiais não podiam ficar esperando a boa vontade dos passageiros e eles mesmos agarravam a força as mulheres e as colocavam nos botes. Andrews logo percebe que os botes estavam saindo quase vazios do navio e chama atenção do oficial Lightoller mandando encher eles até sua capacidade total.



Logo as mulheres e crianças da 3° classe foram liberadas, mas só algumas, pois a confusão era tanta lá dentro, quanto lá fora. Enquanto isso os foguetes ainda eram lançados um após o outro. O capitão observava um navio distante, mas que não respondia o sinal deles, o navio era o SS Californiam, o mesmo que enviou as mensagens de gelo há 3 horas. Andrews chega até o capitão e pede para alguns botes voltarem e chama o bote seis de volta ao navio, só que eles não respondem ao chamado do capitão e se distanciam ainda mais. É claro que eles estavam ouvindo os chamados, mas não quiseram regressar ao navio. A água já chegava ao convés B, e cada vez mais o convés dos botes ficava lotado e cheio de pânico.



A confusão era tanta que ouviram disparos vindos do navio, os oficiais tentavam controlar as pessoas com tiros ao alto e os botes iam descendo lentamente. O quinto oficial, Lowe, que estava no comando do bote 14 disparava para afastar os passageiros que estavam tentando entrar no bote através do convés A.



Enquanto isso o bote desmontável C, foi preparado para colocar os turcos. Bruce Ismay ajudou a arrumar o bote e colocar homens dentro dele, mas em desespero entrou dentro dele também. Logo William Murdoch olha diretamente para ele e manda baixar o bote. No alto, o capitão Smith vê Ismay saindo no bote e percebe que ele estava com medo de morrer como os outros, mas seu dever era ficar até o fim ajudando os passageiros à sairem. O capitão se decepciona com ele e sai.
A água já havia chegado ao convés A, e as pessoas estavam mais desesperadas. Só haviam mais três botes, e percebendo a rápida inundação no navio, os oficiais correram e tentaram tirar os botes A e B de cima dos alojamentos dos oficiais.


 
O bote D já estava sendo retirado do navio. Eles colocaram remos em baixo para baixar os botes, pois estes eram muito pesados. O desespero era grande, a água subia numa velocidade incrível e os oficiais levaram o bote B até a ponta e o empurraram, só que ele caiu ao contrário e como era muito pesado, não conseguiram virar ele. Enfim o bote D foi lançado ao mar, sendo o último a ser lançado.



Agora havia dois botes para ainda 1.600 a bordo. Cada bote suportava 72 pessoas, o oficial Murdoch corre e olha para uma escada que dava ate o convés A e vê a água subindo rapidamente, então manda encherem os botes o mais rápido possível.



Os oficiais aprontaram o bote A, só que os homens queriam entrar também. William Murdoch com todo o desespero, atirou em 2 passageiros que tentaram invadir o bote. Vendo tudo aquilo e os seus parceiros olhando, ele aponta a arma em sua cabeça e atira, morrendo na hora.



O desespero tomou conta do navio inteiro. A água alcançou rapidamente o convés dos botes e a correria era total. Às 02h05min da madrugada, os passageiros começaram a correr em direção à popa. Enquanto isso, o capitão se dirige à sala de Marconi e dispensa os telegrafistas. Logo depois vai até a ponte de comando, quase toda inundada entra nela e se tranca lá. Ele tomou sua decisão.



Não só ele, mas Thomas Andrews ao desesperar-se em ver seu navio afundando, foi até a sala de fumantes da 1° classe e ficou só esperando o fim.



Logo também a banda do Titanic que havia tocado até a água subir, estava calmos e quando os demais rapazes da banda foram indo embora, Wallace começou a tocar a música "Nearer My Good to Thee". Vendo Wallace sozinho, os demais músicos se juntaram à ele e tocaram sua última música juntos.



Enquanto a água invadia o convés dos botes, o bote A tinha dificuldade de sair, ele estava preso sobre as cordas do turco e tiveram que cortar ela.



Eram os últimos momentos do Titanic no mar. Dentro do navio, a luxuosa grande escadaria começou a ser inundada e também todo aquele luxo teria seu fim naquela noite.



A confusão era muita na proa, os passageiros e oficiais tentaram desvirar o bote B, enquanto a água subia. Não se havia mais esperanças quando a água chegou aos músicos. Wallace se despediu de seus companheiros.



Agora eram os momentos finais do navio. Ele afundava cada vez mais rápido e as janelas não aguentavam mais a pressão sobre elas e cediam levando os passageiros que já estavam lá fora pra dentro do navio.



A água já chegava na 1° chaminé do navio. O relógio da honra e  glória da grande escadaria marcava, 02h15min da madrugada.




Nenhum dos 2 botes ainda havia saído do navio. Algumas pessoas desistiram e correram junto com os demais para a popa quando começaram a ouvir um barulho de algo se soltando quando olharam para proa, a 1° chaminé se inclinava, ela caía em cima das pessoas abaixo dela. Quando caiu uma onda e inundou os botes A e B.



A confusão não era só na frente, na popa o confusão era maior os passageiros se acumulavam em duas pequenas escadas que chegavam em cima do tombadilho da popa o ultimo lugar que era mais seguro.



As luzes do navio piscavam constantemente algumas vezes passavam mais de 1 minuto apagadas quando no meio da gritaria eles ouvem um barulho de vidro quebrando, era um barulho alto e assustador a gritaria era alta dentro de um lugar só a grande escadaria o domo gigante que parecia de uma catedral despencou com a forca da agua enchendo aquele lugar de agua e matando todos que ali estavam.



Não só a grande escadaria mais a agua também chegou aos corredores luxuosos da 1° classe destruindo tudo que havia pela frente.



Naquele momento as grandes hélices de bronze começavam a emergir da agua mostrando seu brilho.



A tensão aumentou no navio quem não se segurava ia para baixo novamente pessoas começaram a pular do alto da popa do navio a agua já estava chegando na 2° chaminé o navio se inclinava cada vez mais.



De longe nos botes as pessoas viam o desespero das pessoas que ficaram no navio alguns botes que ainda estavam perto remavam cada vez mais rápido para não serem sugados pela sucção do navio. Às pessoas começaram a escorregar no nos conveses do navio o corredor do convés A estava mais vazio e pessoas que estavam lá escorregavam ate a agua por causa da tamanha inclinação.



A agua cobriu a metade da 2° Chaminé, eramgritaria, vidros quebrando, moveis caindo para o lado da proa naquele momento as pessoas dos botes olhavam o que ainda havia de belo no navio a linda visão do navio com as luzes acessa na agua impressionavam alguns e assustavam os outros eles sabiam que a qualquer momento o navio ia a pique.



Bruce ismay deu sua ultima olhada ao navio e se virou com uma tristeza em sua face enquanto a 2° chaminé caia também.



Muitos deixaram de olhar aquela cena e se viraram quem observou viu as luzes do navio se apagando rapidamente.



Tudo ficou escuro não se enxergava nada daquele lado não havia lua naquela noite por isso o mar estava muito escuro mais ouviram um barulho muito alto vindo da direção do navio alguns não sabiam o que era ainda as pessoas que estavam no mar perto do navio e as que estavam no navio viu o navio se quebrando em duas partes.



Todos que estavam embaixo da popa morreram quando ela caiu em cima deles muitos dizem que JohnJacob Astor foi uma dessas pessoas.



A popa volta ao nível normal quando se ve as 2 ultimas chaminés caírem onavio estava preso ainda somente a quilha do navio segurava as 2 partes.



Quando rapidamente a popa começa sair da agua novamente, puxada pela proa que ainda estava presa nela começou a levantar a popa na vertical, os passageiros começavam a rolar novamente.



Rapidamente a popa fica na vertical fazendo pessoas caírem lá de cima batendo nas que estavam em baixo ou em partes do navio. 2 minutos depoiscomeçaram a ouviu um barulho a popa estava afundando era  o ultimo mergulho do navio de longe não se via mais nada depois que as luzes se apagaramsó barulhos a popa afundava rapidamente e as hélices entraram novamente na agua para nunca mais saírem.

A agua já havia cobrindo quase todo tombadilho, finalmente a agua chega a ponta mostrando o nome Titanic ao fundo era a ultima vez que se olhava aquele nome a ultima vez que via o navio em menos de 5 minutos o navio afundo de vez.


 
O navio mais luxuoso, o inafundavel afundou em 2 horas e 20 o mar estava cheio de pessoas lutando pelas suas vidas agarravam em tudo que havia pela frente ate em pessoas era uma luta pela sobrevivência que não durou muito.



As pessoas escutavam os gritos de longe e alguns queriam voltar outros não,o Quinto Oficial Lowe no bote 14 voltou quase 1 hora depois do naufrágio para ver se ainda tinha alguém vivo ele gritava alto para ver se alguém respondia a única coisa que via era um mar cheio de mortos .



13 pessoas foram encontradas com vida no mar e foram levados para os botes junto com cobertores. Todos estavam em angustia nos botes quando as 5 e meia da manhã chega o carpathia o navio que avisou que chegaria em 4 horas para a alegria de todos.



O carpathia resgatou os sobreviventes e os mortos, o carpathia só saiu do local as 8 da manha 6 horas depois do naufrágio e foram abrigados nos convés ate saberem o que fariam com aquelas pessoas.



O navio chega à nova Iorque com os sobreviventes do naufrágio que se tornou o mais famosos do mundo os familiares esperavam noticias, esperavam os sobreviventes as famílias que tiveram parentes salvos se alegravam outras choravam de desespero ao olhar para o horizonte via a luz do sol e o imenso mar atrás onde estava o tumulo de 1.500 pessoas a frente um novo Mundo, uma nova vida os passageiros estavam prontos para ficarem famosas pelas suas historias naquele navio. Algumas pessoas morreram com honra outras fugiram como covardes aos que ficaram e morreram no navio viram que seus esforços valeram a pena assim como:

Murdoch ajudou muitos a se salvarem e os homens que tiveram uma oportunidade de sobreviver devem suas vidas a ele.

 Thomas Andrews também ajudou muita gente e morreu honradamente assim como o capitão.

Bruce ismay saiu do navio mais sua carreira acabou na White star ele abandonou 1.500 pessoas a bordo foi chamado de covarde por muitos anos.

A banda do Titanic tocou ate o ultimo momento também foram chamados de heróis.

Esse post faz homenagem às 1.500 pessoas que morreram no naufrágio, e as 700 que sobreviveram.



                             Esse post foi ilustrado pelas imagens do filme Titanic (1997)

4 comentários:

  1. Olá, Diogo, que bom que gostou do TITÂNICOS em ação, que tipo de parceria você fala ?

    Adorei essa postagem sobre o naufrágil, muito rica em detalhes. Ficou massa o novo visual!

    Para falar sobre a parceria mande um email para titanicosemacao@gmail.com

    Aguardo Resposta!

    TITÂNICOS em ação 2011
    www.titanicosemacao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá meu nome é Gabriel Ernesto tenho 11 anos e sou um Titânico roxo como vocês
    queria saber mais sobre a grande escadaria (meu lugar predileto)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel,é bom ver que pessoas mais jovens já se interessam pela historia do Titanic.Bom logo colocaremos uma postagem sobre a Grande Escadaria que concerteza é um dos lugares mais bonitos do navio.Se quer ficar atualizado sempre nas postagens curta nossa pagina no Facebook no ícone no começo da pagina.

      Excluir
  3. Em se tratando do Titanic (e também outros transas), meu lugar preferido é a ponte de comando, e gostaria de sugerir uma matéria dedicada aos oficiais do navio, entre eles o (lindinho!!) Lowe, que foi também o herói daquela noite, voltando para resgatar os que haviam ficado na água. P.S: deu dó do Andrews, ele ficou arrasado ao dar a notícia do naufrágio. Notem a tristeza no olhar dele quando segue para a ponte com os mapas e projetos do navio sob o braço; tadinho... [:0]

    ResponderExcluir